Lacunas

23 de novembro de 2010 — 2 Comentários

Lacunas são espaços vazios. O dicionário define como “vácuo, falta, omissão”. Muitas vezes, é essa a sensação que temos, de que a nossa vida está cheia de lacunas e que precisamos urgentemente preenchê-las, sobretudo quando somos jovens.

É justamente nessa fase que nos sentimos mais desfalcados. Olhamos a nossa vida e ela parece estar indefinida; todas as áreas parecem estar “a preencher”, como se fosse um grande formulário de inscrição para a “existência ideal”. Lá estão elas: profissão, relacionamento, chamada ministerial, visão… “qual a sua chamada mesmo?!”, as pessoas nos cobram. Tudo parece incerto. As lacunas parecem estar em neon, bem evidentes, e nós, nos vemos na obrigação de mostrar a todos que temos o poder de defini-las.

É o péssimo hábito que temos de deixar a pressão das circunstâncias regerem as nossas ações. Isso termina tornando-nos crentes sem confiança em Deus, que agem segundo a carne, forçando a barra para as coisas acontecerem, tentando abrir a porta do futuro com o “pé-de-cabra” da ansiedade. No entanto, é nesse ponto que nos frustramos, pois essa não é a linguagem da fé, mas dos nossos sentimentos. São nossos sentidos calculando naturalmente a realidade, enquanto a Palavra nos fala de uma verdade superior: somos plenos!

Na vida do crente não existem lacunas. Ser cristão é, na realidade, ser cheio, completo. A verdade bíblica neotestamentária fala de uma condição de suprimento total em todas as áreas; fala-nos dos crentes como um povo cheio de tudo, superabundante!!!

Somos o povo cujo Pastor não nos deixa faltar nada (Sl 23.1), e que tem promessa de vida, e vida abundante (Jo 10.10), aleluia! A Palavra diz:

“buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” – Mateus 6.33

Jesus estava falando das coisas da vida natural. O que muitos de nós chamamos de lacunas a serem preenchidas, a Bíblia chama de acréscimo. E o acréscimo nunca é o suprimento à falta, mas o excedente, o “a mais”, o bônus!

O que realmente importa, isto é, o essencial e indispensável, nós já temos! Na verdade, estamos transbordando do que realmente interessa! Tudo que precisamos para viver, tanto a vida natural como a vida com Deus, já nos foi dado:

“Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude,” – 2 Pedro 1.3

Somos supridos. Se somos cristãos, – e de fato o somos – para sermos bem bíblicos, podemos afirmar que somos cheios do Espírito Santo, cheios de sabedoria, cheios de bondade, cheios de alegria, cheios de paz, cheios de fé, cheios de ousadia e, sobretudo, cheios de amor. Amor esse que Deus derramou no nosso coração, para que pudéssemos superabundar na sua vontade. Todas as demais coisas são “apenas” acréscimos.

Não me entenda mal, não pretendo menosprezar os seus sonhos. Eu mesma tenho alguns e não quero minimizá-los, muito pelo contrário, quero lhe ajudar a pô-los no lugar certo, para que eles deixem de ser um peso, uma cobrança, ou uma lacuna. Para que você consiga viver a vida abundante que Deus te deu, sem frustrações.

Refiro-me aos nossos sonhos pessoais. Quero que você perceba que a realização deles é como aqueles bônus de videogame, que vamos “pegando” durante o jogo, conforme avançamos em cada fase. Eles não são a finalidade do jogo, mas nos ajudam a jogar. Dão-nos um pouquinho mais de “gás”, de “life”, alguns “super poderes” ou algumas armas extras. Quando a “munição” ta faltando, é legal pegar um desses… Mas entenda: eles não são o objetivo do jogo.

Cada coisa no seu lugar. A vida, na sua essência, é assim mesmo. A causa principal dela não é nos tornarmos bons médicos, advogados, comprarmos uma casa com piscina, usar roupas de marca, casar com alguém bacana, ou ter um casal de gêmeos graciosos. Também não fomos feitos para “ganhar as nações”, pasme você! A Bíblia diz que Deus nos fez para habitarmos sobre a face da terra e para buscarmos a ele (Atos 17.27), e essa é, portanto, a razão pela qual estamos aqui neste mundo: para buscá-lo.

O nosso serviço a Deus é uma oferta que fazemos ao Senhor, é uma resposta de gratidão ao seu infinito amor, e de compaixão pelos nossos irmãos, – especialmente aos perdidos – mas ainda não é o ponto principal da nossa existência.

Se somos cristãos de fato, nascidos de novo e cheios do Espírito Santo, estamos plenos e não há lacunas em nós. Todas as outras coisas, mais cedo ou mais tarde, nos serão acrescentadas. Alguém já disse: “as primeiras coisas, em primeiro lugar”.

Decida pensar da maneira certa, ver-se como Deus te vê: sem lacunas, e receba da vida os acréscimos com alegria e ações de graças, cumprindo o propósito de Deus para sua vida e sendo superabundante em tudo. Nós nascemos para reinar em vida!

Luciana Honorata

Anúncios

2 Respostas para Lacunas

  1. 

    Maravilhoso texto! Uma resposta de paz e refrigério para nós que vivemos em um mundo de tantas cobranças… Contudo Luciana, você disse que não fomos feitos para ganhar as nações, mas e o versículo que Jesus nos disse: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações…” (Mateus 28:19) ? Agradeço se poder falar um pouco sobre este versículo. Grande abraço, Palloma Holanda (=

    • 

      Olá, Paloma, obrigada por visitar e comentar no blog. Bem pertinente e justa sua pergunta, e eu mesma pensei muito a respeito do assunto. vamos lá.
      Como mencionado no texto, Atos 17.27 é o texto bíblico mais claro a respeito da RAZÃO PRINCIPAL de estarmos neste mundo – buscar a Deus. Eu compreendo, particularmente, de acordo com o contexto bíblico como um todo, que não há outro motivo pelo qual Deus tenha criado o homem, senão para que este crescesse em graça, sabedoria a e conhecimento diante dele (Deus). Esse era o plano original de Deus, e vemos isso no Éden de forma explícita. Todo o mundo disponível para Adão, Eva e sua descendência, a ordenança de cuidar do jardim, de se multiplicar, de dominar e obedecer a instrução divina, era o plano original.
      É claro que nós já sabemos o que aconteceu, e o conserto que Deus teve que fazer para reorganizar a bagunça que Adão fez, e é aí que nos confundimos, porque parece às vezes que nascemos para pregar o evangelho e trabalhar na “obra” de Deus, mas isso tudo – ministério, pregação da Palavra, serviço a Cristo – só existe porque o homem falhou no seu propósito de buscar a Deus.
      A grande verdade é que cada homem foi criado por Deus para nascer e permanecer no caminho do bem, e nao para se desviar dele e depois precisar ser convencido a voltar! Quero que vc compreenda que nao estou minimizando a importância da pregação do evangelho, de modo nenhum! O homem deve sim, cumprir o seu chamado em Deus, e principalmente o ministerio da reconciliação. Na verdade, todo aquele que busca a Deus de coração irá desejar pregar o evangelho, pois o amor de Deus ardendo dentro dele jamais o levará a ficar parado. O amor nos move! Mas vc consegue compreender que pregar o evangelho é uma consequência da busca por Deus, e não a CAUSA? Quando busco a Deus, conheço-o, amo-o, encontro-me e aí, posso dizer a outros onde está a fonte! nós nascemos para amá-lo e conhecê-lo, e como consequência disso, iremos servi-lo, contar aos outros da nossa maravilhosa descoberta!
      Bom, espero ter sido clara e ter sanado sua dúvida, Qualquer uma que tenha te restado, pode deixar outro comentário que faço questao de responder… Abraço fraterno!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s