Solteiras no Campo Missionário

5 de fevereiro de 2011 — Deixe um comentário

Mais um post “Só Para Meninas”, aqui vai um texto extraído do Portal Verbo da Vida, da missionária Rita de Cássia. Adorei o texto da Rita sobre mulheres solteiras servindo ao Senhor… Eu TINHA que compartilhar! Espero que você seja abençoada, e em breve volto por aqui. Beijo grande a todos!

“Eu vejo que hoje em dia algumas pessoas demoram um pouco mais de tempo para casar. Os jovens estão sendo ensinados pela Palavra que existe um tempo certo para essa decisão, mas claro, a pessoa não deve demorar , porque nem é bom você casar muito velho, afinal, você ainda vai construir família. Então, acredito que não exista uma ordem, mas tem uma idade que seria boa para você formar uma família bem equilibrada.

A vida dá algumas oportunidades para algumas pessoas, e você vai convivendo com isso, e acaba tendo que tomar decisões, mas o que eu quero falar também é sobre a questão de que você não deve esperar e se realizar quando você etiver casado em nenhuma área da vida, você deve estar realizado em tudo e suprido. O casamento é só um acréscimo que já é notório e que já é real na nossa vida mesmo.

Acho que a mulher com um chamado missionário, com um chamado para o campo, ela tem que ser resolvida em si mesmo, independe de como ela vai estar e com quem ela vai estar, ela tem que estar resolvida em Deus e na Palavra, para dizer assim: Eu e Deus somos maioria onde nós estivermos, o que vier é acréscimo, é favor de homens, o que vier é benção, mas eu estou com Deus e por isso, estou segura.

Vamos aos desafios do campo: primeiro quando eu tive que sair de Petrolina para ser treinada em Campina, eu pensava: “Meu Deus! Eu não tenho nem onde reclinar a cabeça, mas eu vou, Deus vai abrir as portas e as coisas irão acontecer”. E tem sido assim em tudo na minha vida. Eu me posiciono e Deus vai honrando as posições.

E quando chegava os momentos difíceis, em que eu dizia que era para um homem resolver, estando ainda sozinha quando fui desenvolver a obra na Angola, no início sempre foi uma obra muito pesada, ela não é uma obra pra qualquer pessoa, mas para quem tem chamado mesmo, se você não foi chamado ali não é o lugar.

Em outros momentos pensei: “Meu Deus eu preciso de um auxílio masculino”, porque não queria sobrecarregar alguns professores que estavam lá. Quando era mais pessoas do ministério eu descansava, porque podia dividir algumas cargas com eles.

E Deus me lembrava, me trazendo a memória a respeito de Clarisse Lispector, e o Senhor dizia assim: “Ela era uma pessoa vazia, porque não era preenchida do meu espírito, ela só tinha um dom que foi dado por Deus e ela nem reconheceu, foi tão boa naquilo que dizia, contudo você tem o preenchimento, o revestimento do poder do Espírito. Então você pode mais!” E eu sempre andava uma milha a mais, não que eu quisesse ser homem, mais é que existia uma exigência e eu tinha que cumprir com uma resposta.

Meu conselho para a solteira é que vá, se organize, deseje se projete em Deus, com marido ou sem marido, e isso não é uma posição feminista, porque você não depende de um marido para realizar a obra de Deus. E quando você tiver que fazer o papel de homem em algum lugar, porque não não tem outra pessoa que faça, Deus lhe reveste de graça e de poder para realizar.

Vejo que Deus precisava mesmo de uma mulher na Angola para fazer tudo aquilo. Porque Deus precisava? Só estando lá e convivendo é que se sabe. Deus precisava restaurar muitas coisas, fazer muitas coisas e Ele fez. Precisamos estar firmes em nós mesmos e no Senhor, crê em Deus e em nós também, depois cremos nessa segunda pessoa que vai aparecer na nossa vida, que é o acréscimo, e depois disso, entregamos as rédeas, mas já descobrimos que Deus sempre está conosco independente de qualquer coisa.

Está chamada para o campo missionário? Se prepare independente da idade e vá.

Nós temos hoje missionários bem jovens, a maioria são mulheres solteiras e corajosas. Eu tenho exemplo de meninas jovens, como Katiúscia, primeiro foi Dayanne, e Deus queria tanto dar continuidade a esse trabalho, que enviou Katiúscia muito jovem, muito dinâmica, muito cheia de sabedoria, que resolve qualquer coisa, que está pronta, e um esposo hoje na vida de Katiúscia é um acréscimo, mas ela não depende de um esposo para fazer a obra, pra ir, pra vir … não!

Ela dependeu do Senhor e é assim com toda mulher, por que não dizer que é assim com todo homem também? Às vezes, os homens ficam pensando assim: “tenho que casar primeiro, fazer algumas coisas primeiro e depois ir para o campo”.

A vida não é só assim, Deus não cobrou isso de nós, porque podemos chegar lá na frente, já madura demais, sem ter construído família, sem ter casado, e a gente acabar dizendo: “Ah! eu não casei até hoje, porque estava fazendo as coisas do Senhor”.

A vida em Deus é contínua, as coisas vão acontecendo paralelamente, elas não esperam a outra para acontecer, não seria justo, e não é real, uma coisa esperar a outra para acontecer.

No sobrenatural de Deus Ele vai dando paralelo as coisas, uma coisa acontece, quando a outra vai acontecer também, tudo dentro do tempo do Senhor. Se o tempo de Deus é para casar cedo, a gente casa cedo. Nós temos muitos exemplos de homens dentro do ministério que casaram, não imaturos, mas na maturidade normal para casar, e nem deixaram de fazer a obra antes, porque não estavam casados e nem vão deixar de fazer agora, tudo foi acontecendo paralelamente, tem que ter esse equilíbrio”.

Rita de Cássia

Professora do Rhema Brasil

Anúncios

Nenhum Comentário

Seja o primeiro a iniciar uma conversa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s