Perdão, uma questão de justiça!

29 de março de 2011 — Deixe um comentário
Olá, galera que eu amo!

Hoje eu estou “Compartilhando Rhema“! Rs… Pois é, hoje é dia de postar o texto de um irmão em Cristo chamado Flávio Barros, que tem um blog pra lá de abençoado com este nome. A mensagem sobre perdão de pecados ser uma questão de justiça é muito edificante e esclarecedora, e sei que você será tremendamente abençoado por ela. Lê aí, e não deixe de visitar o blog dele.

Beijão e até mais!


“Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito. (Jo 3.16)

O amor, foi a mola propulsora da ação de Deus em direção a humanidade, do Deus trino, na pessoa do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Quando a bíblia diz que Deus nos amou, ela envolve as três pessoas da divindade. Vemos isso expresso na vida de Jesus o Deus Filho, em seus últimos momentos de vida terrena. Ele foi traído, humilhado, zombado, injustiçado, e após ser torturado física e psicologicamente, preso na cruz e ouvindo as ofensas dos seus acusadores, clama: “E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. (Lucas 23:34a)
De igual forma o Espírito Santo nos ama, está escrito: E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis”. (Romanos 8:26).
Como resultado da ação de Deus em toda a sua dimensão; do Pai que dá o seu Filho, e do Filho que se oferece por amor, é que nós obtemos o perdão. O perdão foi uma conquista de Jesus para nós, mediante dois fatores: o seu amor em suportar a condenação que era nossa, e mediante sua justiça em o Pai condenar os nossos pecados, em Cristo, o nosso substituto.
“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. (I Jo 1.9)
Ele é justo e justificador dos que tem fé em Jesus. A dívida foi paga e onde havia dívida agora há um excedente, pois “onde abundou o pecado superabundou a graça. (Rom 5.20b), GLÓRIA  A DEUS!
Por ser justo ele nos concede o perdão, pois o perdão se tornou um direito da humanidade, após o pagamento da dívida. E agora é obtido de Jesus mediante a fé, e o arrependimento de pecados cometidos e que lhes são confessados.
O homem natural não compreende a justiça de Deus. Quando vêem alguém que outrora estava imerso em pecado sendo regenerado pelo poder do evangelho, dizem em tom de escândalo, “como pode, “fulano” durante toda a vida não quis saber de Deus, agora é cristão, e diz que vai morar no céu.” Na verdade estão chamando Deus de injusto, como se Deus tivesse perdoando de forma arbitrária a sua palavra. Ele é amor, mas também é justiça, o preço foi pago. A salvação vem pela graça, por meio da  fé, ela  é uma dádiva a todos que crêem em Jesus. Ninguém consciente nunca poderá dizer que Deus nos salvou com procedimento injusto, antes podemos declarar em toda a terra que ele nos justificou pelos mais justos procedimentos.
O nosso débito foi pago. “havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. (Col. 2.14)
Eu gosto de um bom exemplo que eu ouvi de um dos professores do Rhema, o Pr. Policarpo. Ele lembrava o uso de notas promissórias no comércio. Inúmeras transações comerciais eram realizadas assim, o cliente assinava uma promissória que ficava em mãos do credor, comprovando a existência de um débito, e que só seria resgatada quando o pagamento fosse realizado. Quando o pagamento era feito, a promissória era riscada ou rasgada, e assim anulada, pois ela só tinha valor se tivesse integra, sem rasuras.
Foi isso que Jesus fez por nós, riscou o documento de dívida que era contra nós, pagou a dívida proveniente da desobediência a Deus, e nos fez nova criação, filhos de Deus, justificados, sem dívida para com Deus. E se porventura, errarmos o alvo novamente; cometermos algum pecado.Temos um advogado que é perito em toda a lei de Deus. A bíblia o descreve a nós e a Ele assim: “Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo. (1 João 2:1)
Aleluia! O perdão sempre estará disponível, basta confessarmos a ele os nossos erros e recebermos gratuitamente o perdão. Termino aqui mais um momento de partilha, e falo a você com toda convicção. Deus o ama, e tem perdão liberado a você, agora é a sua vez de se perdoar e seguir o caminho que ele já estabeleceu para você, “UMA VIDA LIVRE DA CULPA”.
Atenciosamente, Flávio Barros.
Anúncios

Nenhum Comentário

Seja o primeiro a iniciar uma conversa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s