Essa coisa de ser solteiro…- PARTE 4: Medo de ficar só (Auto-afirmação)

27 de abril de 2011 — 11 Comentários

Falamos da última vez sobre o medo de ficar só por causa do preconceito, vocês lembram? Ok, mas hoje, vou falar um pouco sobre o medo de ficar sozinho por uma questão de auto-afirmação.

Vamos, primeiro, combinar que não é fácil ser cobrado pelos outros, ok? Contudo, existe algo pior do que isso, que é cobrar a si mesmo! A mais cruel exigência muitas vezes vem da nossa própria alma, a qual o diabo vem espezinhar, cutucar, questionar… Sempre que puder, ele vai fazer você se sentir errado, enganado, e sugerir que você “dê um jeitinho” com as próprias forças na sua situação. Satanás é especialista em forjar medo, e sempre vai tentar injetá-lo em nós, pintando um quadro na sua mente de que você vai acabar ficando velho, amargo e sozinho, jogado em um asilo.

Como eu disse na Parte 3 desta série, a questão muitas vezes não é a solidão em si, mas aquilo que ela representa para nós, e neste caso, para os outros. Para muitas pessoas que têm uma baixa auto-estima, estar solteiro é como um atestado de incompetência (no caso dos homens) ou de que você não é amada (no caso das mulheres). Para ser mais direta, a solteirice é um estado que põe em xeque o seu “poder” e o seu “valor” diante de todos – parentes, amigos, sociedade… até o seu cachorro!

Eu me lembro de uma conversa que tive com uma querida prima, em que analisamos nossas motivações ao namorar pela primeira vez, e manter tais relacionamentos. Entre uma pitada de nostalgia e algumas risadas, precisei admitir, em suma, que eu achava que se todas as minhas amigas tinham um namorado e eu não, era porque eu não era boa, bonita, inteligente ou sexy o suficiente para atrair um rapaz. Ora, isso queria dizer que, na minha ideologia, quando eu tivesse um namorado, eu estaria provando a todos que eu tinha algum valor, afinal, alguém me quis!

Dá um desconto, gente, não me julga não, pois eu era adolescente, e das mais noiadas e complexadas que se pode ser, ok?! Rs… Mas deixa eu te contar que esta atitude me acompanhou certo tempo, porque eu não conhecia o Senhor e, portanto, o real valor que ele me atribuiu.

Da mesma forma, muitos rapazes são viciados em cativar a atenção de moças, e entram e saem de relacionamentos como se trocassem de roupa, por pura necessidade de provar que são capazes de conquistar, que têm essa competência. Estes são os que eu costumo chamar de “conquistadores”.

Você conhece um conquistador só de olhar a agenda do celular dele, ou a quantidade de recadinhos “super simpáticos” que ele deixa na página de rede social das inúmeras meninas que conhece. Por causa da necessidade de auto-afirmação, ele cativa e parte o coração de muitas moças, porque a maioria das que ele “seduz” não lhe serve, nem lhe interessa. No entanto, ele gosta de ser desejado e de provar a si e aos outros que consegue quem quiser.

Seja homem ou mulher, a questão é que o medo que algumas pessoas cultivam de ficar sozinhas, se dá pelo fato de que isso parece “falar” algo sobre elas mesmas que elas nem querem cogitar, quanto mais publicar. Estar só parece significar que ninguém te ama, te deseja, te quer ou te considera adequado como companhia, e ninguém quer se sentir assim. É por isso que para muitas pessoas, estar solteiro é um incômodo, um fantasma do qual elas têm muito medo.

Um amigo contou-me, em uma conversa particular, que não conseguia ficar quinze dias sem namorar. Ele disse que “já tentou” ficar sozinho, mas não consegue! “Dá uma agonia, uma coisa ruim, parece que tá faltando alguma coisa…”, argumentou, em meio a caretas. Ele está namorando uma pessoa há quase dois anos e, segundo ele, já sabe que “não é ela, a para casar”, mas toda vez que o vejo e pergunto se já terminou, ele responde “ainda não, vamos ver no que dá”.

Quer saber? Sei que tem muita gente que não larga o osso de relacionamentos péssimos que não lhes fazem bem, simplesmente por medo de ficar só. Como já mencionei na segunda parte desta série, a carência também é capaz de fazer isso, mas o medo de ficar sozinho pode fazê-lo com mais força, de te tornar mais dependente das pessoas para viver e ser feliz do que qualquer outra coisa!

Você pensa:

“…e se ninguém mais me quiser?”

“…e se eu não tiver outra oportunidade?”

“…e se os outros(as) forem piores do que ele(a)?”

“será que vou conseguir amar alguém como o(a) amo?”

“melhor um pássaro na mão que dois voando… quem sabe ele(a) acaba mudando…?”

Posso afirmar, sem receio algum, que isto é um produto da mente não renovada pela Palavra de Deus. Aquele que conhece as verdades bíblicas com profundidade, não apenas tendo informação, mas sendo iluminado por elas, jamais cairá neste erro. Isto afirmo porque a Bíblia nos ensina a não temer em primeiro lugar, e também que não estamos sozinhos! São dois princípios muito básicos e maravilhosos que têm me feito andar em alegria todos os dias! Um destes princípios está em 1 João, que diz:

No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. (1 João 4.18)

Aleluia! A Bíblia diz que Deus é amor, e que aquele que se une ao Senhor é um só espírito com ele, logo, se estou em Deus, estou no amor, e ele em mim! Eu e Deus somos um agora e o medo não tem mais lugar na minha vida, pois o amor de Deus tem o poder de lançar o medo para fora de mim! Se eu confio no amor de Deus, que inclui o seu cuidado pela minha vida, a sua provisão, a sua companhia e todas as suas demais bênçãos, não existe lugar para o medo! Eu e você estamos aqui neste mundo para sermos aperfeiçoados, e Deus não nos deu espírito de escravidão, para vivermos outra vez em temor, mas espírito de adoção, pelo qual chamamos a Deus de Pai e usufruímos da sua companhia!

Mas você poderia me dizer “Luciana, você ainda não entendeu, o que eu realmente tenho medo não é de não ser abandonada por Deus, mas de não realizar o sonho de casar-me e ter filhos, e ter a companhia de alguém que eu ame”.

Eu entendi, sim, qual a questão. Talvez você ainda não tenha entendido que encontrar alguém e formar uma família é uma consequência, e não um fim em si mesmo. Uma consequência de conhecer a Deus, e o valor que ele lhe atribui. Consequência de conhecer a si mesmo, saber que você é digno de ser amado e sentir-se assim, viver nesta revelação e comportar-se como tal.

Alguém que tem medo de ficar sozinho, é alguém que não acredita em si mesmo. Você não se gosta, e acha que ninguém vai gostar de você. Você não se ama, e acha que ninguém vai te amar. Você não se valoriza, e teme que as pessoas descubram isso, e você acabe ficando “no fundo da prateleira”.

Tratamo-nos, muitas vezes, como produtos que estão no mercado. Ora, se um produto demora a sair da prateleira, é porque está velho, gasto, ou não tem valor no mercado… Ninguém o quer e ele fica lá, pronto para entrar na liquidação. Mas não é assim!!!

É por causa desta sensação, que muitas meninas têm se “oferecido” no mercado dos relacionamentos, “ficado” com rapazes, apelado para a sensualidade e feito péssimas sociedades conjugais. Ora, a propaganda é a “alma do negócio” não é? Mas alguém já disse, com razão, que “o essencial é invisível aos olhos”…

Quer mesmo saber? Auto-afirmação, para mim, é “ALTO-afirmação”! É saber que, antes de tudo Deus já afirmou o meu valor! Ele já acreditou em mim ao ponto de me confiar tesouros eternos, a começar pelo penhor do Seu Espírito! (2 Co 1.22). Além disso, sei que possuo qualidades, atributos, tenho O maior habitando dentro de mim, a companhia mais maravilhosa que alguém poderia ter, além de pessoas segundo o Seu coração que colorem a minha vida e me fazem feliz e realizada.

Não tenho medo das pessoas duvidarem do meu valor porque estou solteira, porque já sei que o preço pago pela minha vida foi o mais alto já pago por qualquer produto, em qualquer prateleira, e não foi preço promocional mesmo! 

O mesmo foi feito por você, que só precisa entender isto. Portanto, pare com essa mania de viver com medo! Você já é precioso(a), e vai tornar-se cada dia mais, pois irá crescer e ficar cada vez mais parecido(a) com aquele que é perfeito! Quando você compreender esta verdade, vai deixar de temer ficar sozinho e pensar que “sortuda” é a pessoa que lhe encontrar…

Não quero encorajar uma linhagem de “eunucos” na igreja, amém? Quero apenas lhe mostrar que não precisamos temer, não precisamos nos “rifar”, nos precipitar, nem viver atribulados à procura de um casamento. Isto vai acontecer nas nossas vidas de maneira gloriosa quando entendermos o lugar de cada coisa, e o valor de cada uma delas…

O seu valor? Deus já afirmou qual é:

“…Porque fostes comprados por preço… sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados [comprados de volta]… mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo”. (1 Coríntios 6.20 + 1 Pedro 1.18-19)

Luciana Honorata

Para ver os outros posts desta série, clique abaixo:

Essa coisa de ser solteiro… – PARTE 1

Essa coisa de ser solteiro… –  PARTE 2: Carência

Essa coisa de ser solteiro… – PARTE 3: Medo de ficar só (O preconceito)

Anúncios

11 Respostas para Essa coisa de ser solteiro…- PARTE 4: Medo de ficar só (Auto-afirmação)

  1. 

    Mais uma vez Luciana, parabéns pelo post.
    Recentemente comecei a ler um livro intitulado ‘Porque os homens amam as mulheres poderosas’. Deu até vontade de escrever um livro chamado ‘Porque as mulheres amam os homens de atitude’, rsrsrsrsr. Mas isso é assunto pra uma outra vez.
    O fato é que, enquanto lia esse livro, um trecho me chamou bastante a atenção e vou parafraseá-lo aqui :
    ‘… uma mulher que sabe quem é, conhece seus pontos fortes e fracos e gosta da própria companhia. Ela não abre mão da sua vida e se recusa a correr atrás de um homem, por mais que se sinta atraída por ele. Ela não permite que ninguém tenha controle total sobre ela e sabe se defender quando os outros passam dos limites. A mulher poderosa sabe o que quer, mas não aceita ser desrespeitadapara alcançar seus objetivos. Contudo, é capaz defazer concessões que não a violentam e que são importantes para a harmonia do relacionamento.’
    Creio que o mesmo príncipio serve para o tipo de homem que as mulheres admiram e este post me lembrou bastante a parte do ‘saber quem é independente do outro’, o que é imprescindível para qualquer pessoa que deseja um relacionamento saudável e não uma tentativa frustrada de ser o centro de satisfação do outro. Isso só leva à ruína (acreditem, eu sei do que estou falando).
    Enfim, adorei o texto e peço aqui sua licença para compartilhar estes pensamentos na página do Verbo Jovem no Facebook (http://www.facebook.com/pages/Verbo-Jovem-JP/154486687935330).

    • 

      Muito obrigada Erik!
      Eu já li esse livro e ele realmente é demais! Acredito que toda mulher deveria lê-lo, e um dia ainda vou indicá-lo como “leitura obrigatória” para toda mulher que se preza! Quanto ao livro sobre os homens, rapaz, vai fundo!!! Vi que escreve muito bem e parece ter muita experiência, né? Além do mais, vc é crente e Deus vai te inspirar a escrever coisas sábias espiritualmente que vão ajudar outros homens a serem melhores “namoridos” para nós! rsrs… Escreve logo!!!
      Por fim, fique livre para reproduzir/indicar quaisquer conteúdos que forem postados aqui, au assino embaixo!
      Um grande abraço!

      • 

        Olá
        Realmente é preciso que homens que tenham uma visão diferente dos paradigmas do mundo. Vemos homens descompromissados… Gostei do ponto de vista do Erik. Também já esse livro. Continue assimLuciana, você vai formar muitas pessoas nos modelos bíblicos. Isso tá em falta, por isso que as pessoas não se amam, pelo contrário, usam e abusam dos outros como objetos, coisas descartáveis. estou sempre por aqui pra ver o que vc escreve. Deus te abençoe.

  2. 

    Espalhei a mensagem por todos os meus contatos e muitas meninas me responderam o quanto adoraram os posts… Glória a Deus pela sua vida, por sua capacidade nEle de nos dar a oportunidade de crescermos no Senhor!
    Beijão.

    • 

      Oi Rayssa!
      Muito obrigada pela divulgação, viu? Eu tenho visto que vc acompanha o blog e sempre compartilha, e me sinto honrada por isso, e “orgulhosa” (me entenda, ta? =]) de estar contribuindo de alguma forma para o seu crescimento e das pessoas que estão próximas a você…
      Deus te galardoará pela sua boa vontade e prontidão em servir!
      Um grande abraço, princesa!

  3. 

    OII, nossa aqui é tudo de bom, os seus postes são surpe valorosos e expressam muitas verdades já conhecidas por muitos mais não executada na pratica. Eu hoje acredito que já fiz minha parte já repassei a uma amiga que estava precisando de algo assim.. Sou Cistã, e acredito que postes como esses podem ajudar muito quem ainda nao tem uma opinião formada sobre o assunto. Continue please? 😉

  4. 

    OII, nossa aqui é tudo de bom, os seus postes são surpe valorosos e expressam muitas verdades já conhecidas por muitos mais não executada na pratica. Eu hoje acredito que já fiz minha parte já repassei a uma amiga que estava precisando de algo assim.. Sou Cristã, e acredito que postes como esses podem ajudar muito quem ainda nao tem uma opinião formada sobre o assunto. Continue please? 😉

  5. 

    Lu, parabéns mais uma vez.
    Costumo dizer que Deus é bom,mas tem dias que Ele exagera.
    Se eu já estava feliz com as duas primeiras partes, continuar lendo as outras, para mim foi o Extra Celeste.
    Essa parte 4 em especial, bate na tecla da falta de consciência de justiça e de quem somos em Cristo, por parte de muitos solteiros e principalmente solteiras. Acredito que a unção contida em cada linha, alcançará e quebrará o julgo pesado na vida dos filhos de Deus. Esse assunto é algo bem sério ( sei do que falo!). No que depender de mim, como sei que tenho o seu sim e amém,rs… espalharei as boas novas.Deixe comigo!Já tem alguns rostinhos aparecendo aqui na minha mente, como aquele homem que pediu ajuda a Paulo, para que passasse na Macedônia para ajudá-los. É isso!

    • 

      Oi Jani!
      Como eu já disse: seja sempre bem-vinda!
      Obrigada pela divulgação, pelas palavras de carinho e incentivo, pelo crédito… Vindo de você, que é uma escritora e tanto, sinto-me ainda mais gratificada!
      Beijo grande, e não deixa de comentar quando vier por aqui…
      Shalom!

  6. 

    Olá Luciana! Como vai? Agora a tarde, procurando na net algo sobre o sentido da vida, pois por esses dias tenho me sentido com aquela tal carência, encontrei seu blog, foi como uma injeção de ânimo, adorei, continue escrevendo, por favor, mesmo que se case, rsrs, de repente até já se casou, não sei, mas suas palavras me deram muita força. Obrigada e muita luz nos seus caminhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s