Arquivos para novembro 2011

Um ano de blog!

29 de novembro de 2011 — 5 Comentários

Um ano inteirinho já se passou e eu nem percebi! Aqui então estamos nós, comemorando o primeiro aniversário do blog.

Há no meu coração imensa gratidão! Em primeiro lugar ao Senhor, por ter me conduzido a esta ferramenta tão poderosa de divulgação do seu gracioso evangelho, assim como também pela oportunidade que ele me proporcionou de exercitar o dom que me concedeu, que é, na realidade, uma das atividades que mais me aprazem nesta vida!

Mas eu devo honras a muito mais pessoas. Na verdade, esta comemoração é mais um pretexto para que eu possa expressar o reconhecimento devido àqueles que fazem deste blog, além de uma realidade, um grande sucesso! Continue lendo…

Não pare para esperar

20 de novembro de 2011 — 7 Comentários

Há algo dentro de mim que fica desconfortável com discursos de esperança. Sério, de verdade. Eu não fico muito bem quando ouço alguém enfatizar o valor da espera, pois me dá a sensação de estar parada no tempo, inerte e ociosa, enquanto a vida, dinâmica como é, acontece “lá fora”.

Naturalmente, acho que isso se reflete na quantidade de vezes em que vou ao médico, enfrento fila de bancos, ou vou ao cabeleireiro, por exemplo. É que eu fico imaginando quantas coisas poderia fazer enquanto estou sentada no consultório aguardando ser atendida; quanto eu poderia produzir neste “meio tempo” que se dá entre o começo e o final da fila. É de fato muito angustiante para mim.

No entanto, consigo imaginar algo mais inquietante do que isso: viver uma vida de eterna espera.

É assim que muita gente vive. Eu mesma conheço um monte de pessoas que está sempre esperando por algo. Entra ano, sai ano, lá estão elas, “braços cruzados” diante da vida, aguardando pelo grande dia em que tudo irá mudar e sairão da mediocridade. O dia em que a tão esperada “promessa de Deus” irá se cumprir, o príncipe encantado virá tirar a donzela da masmorra, uma carta do Gugu anunciará a entrega da casa própria, Jesus Cristo se apresentará numa visão dizendo “venha e me siga, tenho algo grande para que você realize”, ou sabe-se lá o que cada um tem esperado.

O que eu sei, é que as pessoas continuam aconselhando-se mutuamente a esperar, e a sensação que me dá, honestamente, é que enquanto isso elas estão deixando de viver e produzir, para sonhar e lamentar. É como se estivessem o tempo todo na antessala das suas próprias vidas, olhando o frenesi do mundo pela janela do tempo e vendo tudo acontecendo para os outros, enquanto batem o pé impacientemente esperando por sua vez. Continue lendo…

Homens não são ratos

12 de novembro de 2011 — 8 Comentários

Dia desses ouvi alguém falando sobre ladrões. Foi numa dessas conversas cheias de animosidade entre comerciantes experientes. Eu apenas ouvia calada o compartilhamento de  informações e sentimentos que havia ali – um deles havia sido roubado, enquanto o outro o instruía acerca dos cuidados que se deve ter.

Em meio àquela atmosfera de tensão, ficaram marcadas na minha memória apenas duas coisas: o sentimento de revolta expressado por eles, e uma frase que um dos dois proferiu:Quando o dono da casa sai, os ratos tomam conta.

Aquela frase me fez pensar. Eu já havia ouvido muitas analogias entre ladrões e ratos, mas pela primeira vez na vida eu realmente pensei com seriedade sobre o assunto.

É que ratos não jogam limpo – eles se escondem pela casa e sorrateiramente passeiam quando não há ninguém por perto. Assaltam nossos armários sem nenhum pudor, consomem aquilo que não é deles, levam uma parte, destroem outra e depois se escondem novamente, esperando a próxima oportunidade. Nem sempre eles deixam rastros, embora fique sempre uma sensação de que há algo errado, só não se sabe o quê. Difícil coisa é pegá-los, tamanha a sua astúcia. Continue lendo…

Eu sei, eu sei… se meu blog fosse um terreno, o mato já estaria crescido, de tanto tempo que fiquei sem postar. Peço perdão aos seguidores, que porventura tenham andado por essas bandas na esperança de ver algo novo, mas minha vida tem andado tãããooo corrida, que não tenho sequer aberto todos os meus emails. Sinceras e constrangidas desculpas. Agradeço a paciência de todos, e aproveito para compartilhar uma reflexão inteligentíssima enviada ao meu email por uma prima mais do que amada – Juliana Cavalcante (Jubinha). Como sempre acontece, ela me fez chorar.

Espero que você goste, e espero que também te alcance se você ainda tem dúvidas quanto ao que te espera no porvir… Seja abençoado, e em breve estarei de volta… =]

Lu Honorata

No ventre de uma mulher grávida, estavam dois bebês. O bate papo acontece assim…

– Você acredita na vida após o nascimento?
– Certamente. Algo tem de haver após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.
– Bobagem. Não há vida após o nascimento. Como verdadeiramente seria essa vida?
– Eu não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comeremos com a boca… Continue lendo…