Medo da Vontade de Deus

28 de outubro de 2012 — 7 Comentários

Houve um tempo (não muito recente e nem muito far away), em que eu temia a vontade de Deus. Para mim, ela era uma incógnita, um grande mistério insondável a respeito do qual eu não me atrevia a pensar e receava questionar, afinal, fosse lá o que ele tivesse em mente a meu respeito, como Deus soberano criador de céus e Terra, ele devia saber o que estava fazendo.

No entanto, ter ciência de que Deus certamente era preciso em seus projetos não me tranquilizava. Eu me pegava, por muitas vezes, imaginando-o do alto da sua majestade, tecendo suas tramas e tentando me encaixar no seu jogo de xadrez, com a mão no queixo e aquele ar de “deixe-me ver o que atende melhor aos meus interesses”. Eu estremecia.

Para onde será que Deus vai me enviar? O que será que ele quer que eu faça? E se ele quiser uma coisa para mim que eu não queira? Onde eu vou estar daqui a alguns anos? Como será o meu futuro? Perguntávamos, eu e meus botões.

Era eu tão pequena aos meus olhos, e ficava pensando o quão insignificante a minha vontade seria aos dele. No íntimo, de forma discreta e inconfessada, eu considerava Deus uma espécie de egoísta com uma boa causa, e tentava novamente me consolar pensando que ele devia realmente saber o que estava fazendo.

Claro que eu já conhecia Jeremias 29, que diz que ele tem planos de paz, não de mal, para me dar o fim que eu desejo. Mas era desmotivadora uma promessa que me dava O FIM que eu desejasse, e não o meio! (Ainda que já fosse de bom tamanho saber que eu não iria queimar no mármore do inferno). Sabia lá eu se Deus me queria sofrendo sozinha como missionária numa terra distante, até a minha velhice, para que ele me levasse para o céu e, então, o FIM que eu desejava tanto se cumprisse. Vai saber! Também, quem garantia que ele não ia cismar que eu jamais deveria me casar? Hum?! Just think!

O fato é que eu já tinha uma esperança (maranata!) e o meu futuro estava garantido em Cristo (também de acordo com Jeremias 29). Mas… E quanto ao agora?! E quanto ao período compreendido entre o presente momento e o “fim que eu desejo”? O que seria de mim nesse tempo? Eu seria feliz?, “Você vai me deixar fazer o que eu gosto, Deus?”; “Posso casar com quem eu quero?”; “Posso trabalhar no que me realiza?”; “Posso não?!” 😦
Isso me tirava o sono! Me deixava receosa e encafifada com Deus, afinal, como dizem, “manda quem pode, obedece quem tem juízo!”, e eu estava seriamente decidida a cumprir a vontade de Deus, a despeito do que isso me custaria!

Daí eu encontrei Isaías 55 e toda aquela história de “meus pensamentos não são os vossos pensamentos, e nem os meus caminhos são os vossos caminhos”, e a minha desconfiança aumentou em pelo menos 200%. Pensa só, Deus declara expressamente nesse texto que os pensamentos dele são diferentes dos nossos, assim como seus caminhos! Ou seja, com um pouco de lógica, um desavisado (como eu) poderia concluir que, se tudo que Deus pensa é diferente do que eu penso, então tudo que ele quer pra mim é diferente do que eu quero, assim sendo, tudo que eu queria de fato não poderia ter, e seria obrigada a “engolir” aquilo que Deus planejava. E agora José!? Fiquei com medo de querer qualquer coisa, porque seria sinônimo de renunciá-la.

Foi mais ou menos nessa fase que eu descobri Romanos 12. Graças a Dios! Que alívio, que alegria, que maravilha! Deus não é o estraga-prazeres que muita gente pensa! E como a simples compreensão da Palavra pode tirar o jugo de sobre nossos ombros, o medo da nossa alma e nos libertar para viver uma vida plena!

Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, revelou-me a essência da vontade de Deus:

“…e não vos conformeis com este século [mundo], mas transformai-vos pela renovação da vossa mente para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus“. Rm 12.2

Ora, a vontade de Deus é BOA! No grego, agathos, que significa “de boa constituição ou natureza; útil, saudável”; ou seja, ela nos faz bem! Ela nos beneficia em todas as áreas, contribui para nossa felicidade! Não é show?! I like this!

Mas sabe, foi bom Paulo não ter parado por aí, pois existem muitas coisas que me fazem bem, das quais eu não gosto. Jiló é um bom exemplo disso (argh!). Eu também não gosto de figos, e há quem seja avesso a todo tipo de frutas e legumes, que são extremamente saudáveis e benéficos para a saúde. Já parou pra pensar que também tem muita gente que detesta fazer exercícios físicos, muito embora exercitar-se seja bastante saudável para o corpo? Nem tudo que é bom, é necessariamente AGRADÁVEL! Mas a vontade de Deus para as nossas vidas, segundo a Palavra, além de fazer bem, nos agradará!

Mas quer saber? Ela poderia até ser boa e agradável, no entanto, meus planos também poderiam ser… E aí? Como fica? Paulo derruba toda possibilidade de nos enganarmos com este argumento quando arremata dizendo que a vontade de Deus é também PERFEITA! Pense bem agora comigo sobre o que significa a perfeição. Se algo é, de fato, perfeito, é porque não existe nada que possa ser tirado ou acrescentado lá. A palavra grega usada é teleios, que conota “finalizado; que não carece de nada para estar completo”! Perfeição é algo indiscutível, incomparável, insuperável. Nada pode sobrepor-lhe, nem anular-lhe, e assim é a vontade de Deus para nós – não somente benéfica, mas que nos fará feliz acima de qualquer outra – seja a sua, dos seus pais, do seu cônjuge ou… Enfim, nenhum outro plano poderá superá-la, nenhuma ideia pode ser mais brilhante!

Senti-me livre e motivada desde então para segui-la com todo o meu ser. Hoje, eu consigo ver as coisas de outro ângulo, e não sigo o plano do altíssimo a meu respeito por medo de perder meu galardão ou minha salvação, de ser colocado no ventre de uma baleia (figurativamente, é claro), ou mesmo por um compromisso cristão (ainda que este seja um bom motivo para fazê-lo); faço isso porque entendi qual a natureza da vontade do meu Pai para ela, e que não há lugar melhor no universo para estar do que exatamente no seu centro.

Não vivo atormentada pensando em como será o amanhã, mas, finalmente, hoje estou fazendo exatamente o contrário, “perseguindo” e vivendo a vontade de Deus, pois agora eu não acho, mas TENHO CERTEZA de que ele sabe muito bem o que está fazendo!

Anúncios

7 Respostas para Medo da Vontade de Deus

  1. 

    Muito bom Lu (:

  2. 

    Não cheguei ainda nos finalmente que vc chegou…
    Mas esse texto me retrata muito bem…
    Vou continuar na caminhada!!!

  3. 

    Muito bom!!!
    Lu vc é um canal de Deus pra me abençoar…
    Beeijos

  4. 

    Perfeito texto, me ajudou muito … obrigada 😉

  5. 

    Parabéns Lu, você escreve divinamente!!
    Que Deus continue te inspirando para que você continue nos abençoando com suas belissimas palavras.
    😉

  6. 

    Luciana,

    Que o Senhor continue te abençoando, pois esta reflexão simples me fez analisar meu modo de vida com certeza de que existe muito mais a ser feito para que a vontade de Deus se realize no meu viver.

    Graça e paz de Cristo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s