Arquivos para crescimento espiritual

Olá gente, paz a todos!

Voltei com a parte 5, finalmente. Entretanto, vou avisando que logo logo terei que postar a parte 6, continuando a série, porque esse assunto é como abrir uma lata de minhocas – depois que se abre é difícil fechar.

Espero que vocês sejam abençoados. Abraço e até mais!

“Esta é uma das maiores dúvidas que as pessoas têm, e um dos maiores motivos pelos quais muitas pessoas não querem ficar solteiras – elas acreditam que nasceram para casar. Isto quer dizer que elas acreditam ser esta a sua “missão suprema”, seu propósito de vida, seu alvo. Eu mesma já ouvi não apenas uma, mas várias mulheres fazendo essa afirmação, enquanto argumentavam que Deus lhes havia confiado esta tarefa. Elas dizem: “nunca serei completa se não tiver alguém para auxiliar, porque fui criada para isto – ser a auxiliadora de um homem”. Continue lendo…

Anúncios

Não Existe Culto Ruim

24 de março de 2011 — 2 Comentários

Oi pessoas!

Hoje eu decidi postar um texto super legal que me abençoou muito, do blog do meu mais que amigo Einstein Felinto. Muito franco e direto, ele nos conduz à avaliação das nossas motivações e nos exorta a desejar mais de Deus… Show! Sê abençoado aí! 🙂

“Um dia me perguntei: Porque alguns cultos para mim são melhores do que outros? Porque em alguns cultos eu sou mais abençoado do que em outros? Será que é o pregador? Ou o louvor do culto que faz a diferença? Continue lendo…

Humildade x Orgulho

4 de janeiro de 2011 — Deixe um comentário

Esta semana, meditando sobre este tema e sendo ministrada nele, o Senhor lembrou-me este texto que eu havia lido há um tempo atrás. Desejei muitíssimo lê-lo novamente, e fui em busca dos meus arquivos pessoais a fim de encontrá-lo. Nossa! Fui muito edificada (novamente), e desejei compartilhá-lo com vocês…

Amanhã, postarei uma pequena parábola acerca do mesmo assunto, para enriquecer a nossa meditação, amém? Fica ligado, e aproveita para se julgar e corrigir, caso necessário. Grande abraço!

Luciana Honorata

“Você já deve ter ouvido muitas vezes a palavra humildade, não é mesmo? Esta palavra é muito usada, mas nem todas as pessoas conseguem entender o seu verdadeiro significado. Continue lendo…

Equilibrismo

16 de novembro de 2010 — Deixe um comentário

Eu tenho uma séria desconfiança de que todo crente já passou por isso, embora não arrisque generalizar por conhecer meu próprio testemunho e o de alguns irmãos próximos, mas é fato comum se ouvir algum crente dizendo: “eu já fui radical um dia”.

“Radical” leia-se: “desequilibrado, tendencioso, exagerado”.

Há em nós uma tendência arriscada para os extremos. Tudo quanto queremos e sabemos parece ser o certo, é sempre muito bom e não se discute mais isso. Somos altamente parciais e tendenciosos. Nossos avós chamam esse fenômeno de “viseira de burro”. Você já viu uma?!? Ela é colocada nas laterais da cabeça do animal para que ele não enxergue nada mais do que está exatamente diante dos seus olhos.

Muitos de nós andamos com “viseiras de burro” invisíveis. Elas estão nas nossas mentes: na nossa visão preconceituosa, religiosa, parcial. Nós vemos uma parte e queremos decifrar o todo. Nós conhecemos um lado e desprezamos o que está oculto. Julgamos um pelo outro, porém, muito antes de ter a visão geral da “coisa”.

Demoramos a acertar o caminho da cruz porque tudo o que sabíamos sobre o evangelho era algo a respeito de homens e mulheres barulhentos com folhetos nas calçadas, caixas de som ecoando hinos da harpa em plena praça e alguns escândalos de “religiosos mercenários”. Então, recusávamo-nos a olhar a outra face.

O poder de Deus então enfim nos alcançou… Alguém nos mostrou o “outro lado” e precisamos admitir que, de fato há algo de realmente bom, ou melhor, que na realidade é VERDADEIRAMENTE benéfica, agradável e fascinante a vida com Deus.

O problema é que, conosco, trazemos a nossa tendência preconceituosa e radicalista para o lado de cá, e aí desequilibramos de novo.

Então, abraçamos a verdade de tal modo que não queremos nos desvencilhar dela. Ela nos salvou. Aleluia! Precisa ser pregada, anunciada, amada, idolatrada, salve, salve! Precisa ser estudada, garimpada, vivida, praticada… Enfim, a gloriosa verdade nos consome!

Agora, somos o povo escolhido! Agora, somos do Reino eterno de Deus! O sacerdócio santo e separado. E quem são os outros?!?

Oh… são apenas pecadores, filhos do diabo, controlados pelos demônios e que não sabem o que é liberdade.

E os nossos irmãos desviados? São quase apóstatas que conhecem o caminho da verdade, mas não se firmam. “Bem feito!” – alguns diriam – “já que não querem Jesus…”.

Deus tenha misericórdia de nós!

Tornamo-nos pessoas legalistas, sem misericórdia, presunçosas e partidárias. Levantamos a bandeira da nossa congregação e estufamos o peito, cheios de orgulho porque temos a Palavra Revelada! Como se ela não estivesse na Bíblia, mas com um punhado de “crentes especiais”.

Sobretudo enquanto ainda meninos na fé, somos rápidos para julgar e apontar os pecados dos outros. Cada passo fora da linha, cada palavra de incredulidade, cada pequeno detalhe é observado. Tornamo-nos implacáveis não apenas conosco, mas com todos. Totalmente desequilibrados!

Com o passar do tempo e um coração sincero, desejoso de acertar, a vida nos mostra o quanto ainda temos que aprender, e como não devemos roubar das pessoas o direito de crescer, de cometer os próprios erros e arrependerem-se.

O nosso espírito foi salvo, graças a Deus. Mas a nossa humanidade não foi perdida com isso. Temos muito trabalho ainda a fazer! Precisamos doutrinar uma alma teimosa e volúvel. Ora ela quer estar conosco, ora com a “inimiga íntima”, a nossa carne. Esta, só será vencida no dia em que o Senhor vier nos buscar para estar com ele.

A questão é: estamos todos no mesmo barco. Todos precisamos crescer, todos usufruímos da graça, todos precisamos da misericórdia… TODOS!

Aqueles que não erram nas palavras, erram nas intenções ou nas ações. Aqueles que não mentem, podem fazer acepção de pessoas ou difamar um irmão… Enfim, não importa! O que interessa é que o julgamento cabe a Deus e não a nós. Só ele tem a visão absoluta dos fatos, dos corações, das intenções… Ele é o juiz, não o nosso “achismo”. Ele tem uma visão privilegiada de tudo e, portanto, um julgamento imparcial e justo.

A nossa parte é, sem sombra de dúvidas, a de sermos gratos pelas novas chances que ele nos concede diariamente, e vivermos como “equilibristas” esforçando-nos para não cair nem de um lado, nem de outro, mas andando na linha da verdade do amor de Deus, que nunca falha.

(Hebreus 4.13) – E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas.

Luciana Honorata

 

Upgrade* em minha vida

12 de setembro de 2008 — 3 Comentários
                  Fiz uma super revisão na minha vida. Sabe aquelas coisas q vc guarda por que acha q vai usar e passa anos nas gavetas, ocupando espaço, cheirando a mofo e bloqueando sua consciência para adquirir novas? Bom, no fim das contas, vc nem as usa, nem adquire novas, e ainda impede que outras pessoas além de vc sejam abençoadas com elas. Percebi que havia muitas coisas assim em mim e decidi: vou jogá-las fora. Claro que nem sempre vc está disposto a isso, pq na verdade, nós acabamos guardando com uma séria esperança de que pode dar certo ainda um dia, pode ter alguma utilidade, mas esquecemos gravemente dos princípios de renovação que Deus nos dá pela Sua palavra e queremos reter e viver coisas velhas, q já passaram e não vão mais fazer uma diferença positiva nas nossas vidas, pq a época de serem usadas já passou. Precisamos de algo melhor, maior, mais novo e adequado para nossa "configuração" atual.
                 Sabe, eu tinha um computador. Ele não era uma super máquina, mas era um bom computador. Durante quatro anos eu o usei e ele me serviu muito, mas depois disso ele só me deu trabalho. Outras tecnologias estavam chegando e ele não as suportava, ou melhor, ele não tinha os pré-requisitos necessários para comportar aquelas adaptações que as novas tecnologias exigiam. Por isso, ele começou a me dar mais trabalho do que a me abençoar, afinal, eu precisava me atualizar para fazer alguns trabalhos e, nem ele podia ser adaptado de forma satisfatória, nem eu me desfazia dele pra adquirir outro mais atual. Ele estava lá, ocupando minha mesa, sem atender minhas necessidades e eu me sentia impedida de adquirir outro, pois já o possuía.
                  Era esse mesmo tipo de atitude que eu estava tendo na minha vida espiritual, e de fato, precisei fazer uma limpeza nas gavetas da minha alma. Isso acontece conosco. Se não tomarmos cuidado, emperramos um monte de coisas lá dentro e não abrimos espaço para o novo… Esquecemos que o Senhor é um Deus de "novidade de vida" e que a bíblia fala de um rio de "águas vivas" que é o próprio Deus jorrando seu poder dentro e através de nós… Sabe, isso me fala de nada estar guardado, mas de tudo sempre bem novinho, renovado, lustroso e pronto para ser usado.
                 Tudo em nossa vida deve ser sempre novo, por que assim é Deus e fomos feitos para ser Sua imagem e semelhança. Se guardarmos aquilo que não nos serve, tudo aquilo que teremos serão as coisas que não nos servem e O impediremos de nos abençoar com as novas coisas que Ele tem pra nós! Sejam essas coisas físicas ou espirituais, relacionamentos, oportunidades, pensamentos, ideais, planos… não importa, o que quer que seja, devemos simplesmente confiar no que ele tem para nos dar em lugar daquilo que entregamos… Com certeza, é o melhor!

*Upgrade é um jargão utilizado em computação com significado de atualizar, modernizar; tornar (um sistema, software ou hardware) mais poderoso ou mais atualizado adicionando novo equipamento ou atualizando o software com sua última versão. Isso é melhorar o seu equipamento, deixar mais potente e configurações avançadas

Tempo para edificar

1 de agosto de 2008 — Deixe um comentário
             Deus está me levando a ler textos que, embora de diferentes temas, estão convergindo para me ensinar uma verdade central. De uns dias pra cá, tudo o que chega diante dos meus olhos, praticamente, me leva a refletir sobre o tempo de Deus para cada coisa e sobre o fato dEle esperar de nós que nesse tempo sejamos fiéis aos seus princípios. Sabe, imediatismo não é com Deus. Apesar do Senhor ter o poder pra fazer qualquer coisa, em qualquer tempo, (mesmo que em uma fração de segundo), não significa dizer que é assim que Ele fará. Afinal de contas, existem coisas que Deus quer que nós façamos antes que Ele faça o que nós desejamos, e até mesmo para cumprir as coisas que Ele mesmo propôs que nós fizéssemos, Ele espera que tenhamos algumas atitudes. Difícil de entender? Deixa eu tentar explicar melhor: a Palavra fala claramente que nosso Pai é longânimo, paciente e, sinceramente, não consigo imaginar alguém que tem toda a eternidade pela frente apressado para fazer o que quer que seja. Deus nos "tangeu" até a salvação que Cristo conquistou pra nós e agora, Ele espera ardentemente que, além de usufruirmos do penoso trabalho de Jesus, conduzamos tantos quantos pudermos a "tão grande salvação". Foi justamente por isso que o Senhor nos deu um ministério! É essa a razão de termos um serviço na igreja, é essa a razão pela qual vivemos: servi-lO com a nossa vida, para os seus propósitos, não os nossos. Mas para isso, Ele quer nos preparar e mostrar algumas coisas que dentro da nossa visão humana não podemos ver. Ele quer nos tirar do nosso modo "brasileiro" de pensar e nos levar a construir a nossa vida em uma base sólida, com fundamentos profundos.. bem profundos. Uma vida bem estruturada que não pode ser abalada por qualquer tremor de terra, ou levada por tempestades ou ventanias. Deus não tenciona erguer casebres, "duplexs" ou coisas do gênero. Ele deseja construir suntuosos "arranha-céus" de envergonhar o inferno! Homens e mulheres edificados na palavra da verdade, que sabem o que estão fazendo e porque estão fazendo aquilo que executam. Nosso Pai não quer levantar edifícios de isopor! E edifícios como Deus deseja erguer são demasiadamente demorados de se contruir… Geralmente levam anos. Alguns, décadas! Mas quando concluídos, ah! Quão maravilhosos são! Deslumbram os olhos daqueles que os vêem…  Embora isso seja verdade, também é real que ninguém se lembra muito bem do período de construção. A esmagadora maioria das pessoas apreciam os detalhes da arquitetura, a beleza da decoração, a força das vigas, mas é a vizinhança que tem todo um histórico pra contar sobre aqueles anos de barulho, poeira, de um vai-e-vem interminável de guindastes, caminhões e trabalhadores.  Foram eles quem suportaram todo o estresse de cada etapa e tiveram a ótima oportunidade de aprender que toda grande obra leva tempo de ser edificada. Não seria diferentecom o caráter do homem.
           Enfim, visto que todo aquele tempo de construção finalmente valeu a pena, pois redundou em uma excelente e sólida obra, chegou a hora de permitirmos que sejam postos estes fundamentos em nós. Cumprir etapas é uma bênção. É preciso. Aquilo que não é hora de edificar, deixa o "divino Mestre-de-obras" colocar no lugar a seu tempo! Se você tiver que passar alguns anos cavando os buracos das imensas colunas, quer dizer que não será mais uma "pousada de quinta categoria", mas um suntuoso arranha-céu para os quais todos olham e se admiram da beleza, graça e imponência, para a glória de Deus!
            Mas leva tempo…