Arquivos para eternidade

aliança com DeusQuem vai me separar do amor de Cristo?

Ninguém, absolutamente, pois não há como fazê-lo!

Nem problemas, nem tempos difíceis, nem ódio, nem amargura, nem fome, nem desamparo, nem vergonha, nem ameaças, nem punhaladas nas costas, nem medo, nem mesmo os piores pecados listados nas Escrituras…

Nada disso me intimida, porque Jesus me ama.

Estou plenamente convencida de que NADA – nem a morte nem a vida, nem anjos ou demônios, nem a situação presente e nem qualquer circunstância futura, nem poderes, nem alturas vertiginosas ou profundidades insondáveis, nem distâncias, nem silêncios, nem vazios, nem qualquer criatura do universo – ABSOLUTAMENTE NADA! pode me separar do amor de Deus por mim, que foi provado na cruz, pelo sacrifício do meu Jesus!

Eu sou DELE e ele é MEU.

Esse amor está em mim, e eu estou nele.

Somos UM, unidos e misturados, sem emendas…

E continuaremos assim para todo o sempre, eternamente, amém!

Anúncios

Eu sei, eu sei… se meu blog fosse um terreno, o mato já estaria crescido, de tanto tempo que fiquei sem postar. Peço perdão aos seguidores, que porventura tenham andado por essas bandas na esperança de ver algo novo, mas minha vida tem andado tãããooo corrida, que não tenho sequer aberto todos os meus emails. Sinceras e constrangidas desculpas. Agradeço a paciência de todos, e aproveito para compartilhar uma reflexão inteligentíssima enviada ao meu email por uma prima mais do que amada – Juliana Cavalcante (Jubinha). Como sempre acontece, ela me fez chorar.

Espero que você goste, e espero que também te alcance se você ainda tem dúvidas quanto ao que te espera no porvir… Seja abençoado, e em breve estarei de volta… =]

Lu Honorata

No ventre de uma mulher grávida, estavam dois bebês. O bate papo acontece assim…

– Você acredita na vida após o nascimento?
– Certamente. Algo tem de haver após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.
– Bobagem. Não há vida após o nascimento. Como verdadeiramente seria essa vida?
– Eu não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comeremos com a boca… Continue lendo…

Almas Velhas

12 de outubro de 2011 — 17 Comentários

Quando eu era adolescente, minha mãe sempre dizia que quando somos bem jovens, pensamos ser eternos. Ela não era cristã na época, e falava sob uma perspectiva meramente natural, tentando explicar que nessa fase da vida nos comportamos como se não somente a morte, mas o envelhecimento fosse uma realidade distante, quase utópica para nós.

Eu realmente vasculhava na minha mente algum indício de expectação da morte, algum temor da fadiga, e de fato não encontrava nada. Eu sequer me imaginava com mais de 25 anos, e duvidava secretamente de que um dia teria aquela lucidez da qual ela falava. Continue lendo…

Tatuagens são para sempre

14 de janeiro de 2011 — 10 Comentários

O que acontece quando você muda e elas permanecem?

Peço licença para postar o texto de um homem que não se professa cristão, mas que escreveu verdades coerentes que são um alerta para nossa geração. Ele é editor geral da revista Época e escreve uma coluna semanal no site Globo.com. Fico impressionada com a capacidade de expressão que Ivan Martins usou nesse texto. Pra quem ta pensando em fazer tatoo, vai aí um ponto de vista nada quadrado, muito menos tendencioso. Grifei as partes que considerei mais show, ok? Vale a pena refletir!

“Conheço uma moça que gastou um bom dinheiro, e um bocado de tempo, tentando, sem sucesso, tirar da orelha uma tatuagem que havia feito na Índia, no tempo em que era devota de um guru famoso. Não sei por que ela queria tirar a marca, mas o que me ficou marcado, para mim, é que ela não estava conseguindo. Continue lendo…