Arquivos para perseverança

De um modo geral, adoro os vídeos do Rob Bell, mas esse é demais!

Ser discípulo é bem mais do que ir à igreja… Seja abençoado!

Anúncios

Apenas parece…

16 de novembro de 2010 — Deixe um comentário

Como é comum de se ouvir por aí, a vida é uma caixinha de surpresas! Sempre há algo acontecendo inesperadamente, um evento que não estava no nosso cronograma e nos pega “de assalto”. Geralmente, somos tentados a refazer os nossos planos por causa destas circunstâncias imprevisíveis. Elas aparecem e parecem ecoar um sonoro NÃO àquilo que pedimos ao Pai ou que ousamos chamar à existência pela fé na Palavra.

Quase podemos ouvir a zombaria do diabo ao pé dos nossos ouvidos, sua risada sarcástica “pseudo-triunfante”, fazendo nos sentirmos muito aquém do que a Palavra garante que somos: mais do que vencedores!

Por alguns momentos, quase acreditamos que ele prevaleceu sobre nós, e acontece que, se atentarmos para o quadro natural à nossa frente, é exatamente essa a impressão que teremos: a de desfalecimento diante da aparente derrota.

Parece que ele ganhou, parece que não tem mais jeito, parece que a Palavra não funciona e que é um verdadeiro “Fantástico Mundo de Bobby” e que todos os testemunhos que ouvimos foram meros acasos atribuídos a Deus, mas que na verdade mesmo, para nós não funcionará. Apenas parece…

Dou graças a Deus porque a sua Palavra nos adverte:

“A aparência deste mundo passa…” (1 Coríntios 7.31)

Aleluia!!! A aparência passa. Tudo aquilo que parece derrota pode mudar de um instante para outro… ou desprezamos o fato de que o Mar Vermelho parecia intransponível?!

Posso confessar que, nem no meu mais louco delírio, ousaria duvidar da estabilidade de um mar “plantado” na minha frente! Se eu não conhecesse o final da história (medite você também), penso que jamais me atreveria a crer para que o mar fosse partido ao meio. Talvez eu usasse uma fé “violenta” e dissesse: “Senhor, manda um “super navio”, ou um helicóptero, Senhor, manda um exército de anjos…”, ou talvez entrasse em desespero e na oração em “línguas emergenciais”, mas jamais duvidaria da estabilidade do mar instalado à minha frente.

Glória a Deus, cuja Palavra é poderosa! Moisés tinha um firme propósito: sair com o povo de Deus do Egito rumo à Terra Prometida. Eu não sei qual o seu propósito, mas a Palavra de Deus diz:

“Tu, SENHOR, conservarás em perfeita paz aquele cujo propósito é firme; porque ele confia em ti.” (Isaías 26.3)

Deus conserva em perfeita paz aquele que sabe o que quer. É o inverso da situação descrita em Tiago, capítulo 1, que diz que o homem que não sabe o que quer (ou que duvida) é como uma onda, impelida e agitada pelo vento. A Bíblia diz que esse homem é inconstante em todos os seus caminhos e não receberá de Deus coisa alguma.

Devemos observar que nosso Deus é um Deus de fé, e que a fé não muda de idéia diante da circunstância adversa, mas permanece firme até o fim! Ela persevera, ela insiste, ela “finca pé”, “o sangue dá na canela” e ela não se demove… E por quê?!? Por que confia em Deus!!!

A fé sempre está plenamente convicta de que ele vela sobre a sua Palavra para cumpri-la, porque sabe que ele é fiel, que é o todo-poderoso e que, uma vez que ele nos instruiu e liberou a autoridade no Nome de Jesus para que a usássemos, não voltará atrás nos seus desígnios.

Deus sabe o que quer! Ele tem propósito em tudo o que faz e se agrada quando imitamos o seu caráter indefectível!

Se você tem um propósito, não se deixe demover pelo que parece prevalecer. A promessa de Deus é: enquanto você não se move para mudar os planos e propósitos por causa daquilo que está vendo, ouvindo ou sentindo, ele te dá graça para suportar com paciência o cumprimento da promessa, te conservando em perfeita paz, porque você confia nele e no seu imenso poder para fazer abundantemente além daquilo que podemos pedir ou pensar…

Luciana Honorata

Não baixe a guarda!

4 de outubro de 2009 — Deixe um comentário

A fé é o passaporte para adentrarmos no Reino de Deus e receber todas as bênçãos espirituais reservadas pelo Pai para nós. A relevância da fé é revelada em todo o contexto bíblico, culminando na definitiva declaração de que “sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11.6).

De fato, agradamos a Deus quando andamos pela fé, desbravando as matas de incertezas que o mundo nos apresenta.

Sob uma perspectiva natural, somos impelidos a andar amedrontados pelas “gripes quadrúpedes” que surgem para roubar a paz das massas e promover a alta nas ações das indústrias de medicamentos.

E não apenas isso, mas de um modo geral, as obras do diabo estão sendo noticiadas nos telejornais, mascaradas de “efeitos da globalização” e outros codinomes, sempre tentando injetar sutilmente em nós uma sensação de que não é possível escapar do sistema vigente.

É o mundo tentando entrar em nós. São as verdades circunstânciais tentando sobrepujar as verdades soberanas e absolutas anunciadas por Jesus.

Continue lendo…

Todos nós admiramos as grandes coisas. Grandes pessoas, grandes monumentos, grandes ministérios… Tudo o que é grandioso nos fascina e admira. Até temos um “jargão evangélico” na ponta da língua que diz que “tudo que Deus faz é grande, porque ele é grande”. De fato, isto é uma realidade.


Entretanto, devemos compreender que nem sempre as obras grandiosas do Senhor começam do tamanho que as vemos.


O Deus da grande árvore é o mesmo Deus da pequenina semente. Aquele que gerou o grande homem é o mesmo que criou o embrião. Os grandes rios, têm ínfimas nascentes e, no entanto, tornam-se caudalosos no seu curso final.


Praticamente tudo que é grande, começou pequeno.


A palavra de Deus diz que:”porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre nós…Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas.” (Romanos 1.19-20)


A natureza nos revela Deus e seu caráter, e podemos extrair dela, princípios espirituais que nos esclarecerão a verdade sobre a nossa vida.


Uma dessas verdades é que a ordem natural das coisas, é que elas comecem pequenas e se desenvolvem de modo que se tornem grandes e fortes! Desde que o Espírito me falou sobre isso, costumo chamar de “princípio dos pequenos começos”.


“Pois quem despreza o dia dos humildes começos, esse alegrar-se-á vendo o prumo na mão de Zorobabel.” (Zacarias 4.10)


A Bíblia diz que não devemos desprezar os pequenos começos! Na verdade, nesta passagem Deus fala por meio do profeta, que aquele que despreza o dia dos pequenos começos, não tem idéia do que eles podem resultar! Zorobabel estava construindo uma casa e o povo estava vendo apenas os alicerces, mas o Senhor via o edifício pronto, terminado e por isso dizia: “eles se alegrarão quando virem o que eu estou vendo!”. Aleluia, Deus é um visionário!


Muitos de nós estamos desprezando o poder que há nos pequenos começos, mas não há nenhuma edificação que possa ser erguida sem alicerces. Não há nenhuma planta que não tenha sido uma semente. Nem nenhum homem que não tenha sido um embrião…


Toda edificação acaba sendo um amontoado de coisas que vão sendo acrescentadas ao seu “esqueleto”, pouco a pouco. O homem, é “apenas” a união de duas pequeninas células que se unem e se multiplicam quando alimentadas pelo útero materno. Assim também, a semente carrega o “poder” de se tornar uma árvore, e só precisa ser regada com água e receber a influência da luz para crescer e se tornar uma frondosa árvore.


Assim também é a nossa vida espiritual. Nascemos de novo e recebemos, dentro de nós, o potencial para sermos grandes, imensos na verdade. Deus nos vê grandes, assim como nosso ministério e tudo quanto nos propomos a fazer. Só que precisamos compreender a nossa parte nesse processo e desenvolver aquilo que ele já nos deu, acrescentando o “material” certo, na ordem correta, sem pular etapas.


Não podemos ficar enganados de que, ao pular etapas, não haverá prejuízo, isso é um engano. Já pensou, se você fosse um empresário, com uma pequena loja e te dessem uma rede de supermercados para administrar? Seria quase impossível fazê-lo, pois você não possuiria a estrutura necessária para tal. Você provavelmente não saberia nem por onde começar!


No entanto, quando nos desenvolvendo pouco a pouco, vamos sendo acrescentados e edificados, vencendo cada dificuldade e sendo fortalecidos para a próxima. Glória a Deus por isso!


Todo o agir do Pai é cheio de sabedoria, e ele nos criou para progredirmos de glória em glória, cada dia um pouco mais. Só assim também valorizamos o que temos. Quando usarmos o que já possuímos, honrando a confiança que ele depositou em nós, ele nos acrescentará  e nos tornaremos cada dia maiores e mais fortes, pois grandes são os planos de Deus e nós somos um deles!


Não despreze o pouco que Deus está confiando em suas mãos neste momento. Existe poder aí pra gerar algo grandioso, você só precisa desenvolver isso, seguindo a ordem correta, guiado pelo Espírito com perseverança, pois muitos se alegrarão quando, tendo desprezado o seu “pequeno começo” virem a grande obra que Deus está fazendo.


(Provérbios 4.18) – Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.


Luciana Honorata